Presidente Trump proclama o ‘Dia da Liberdade Religiosa’

Artigo de Thaís Garcia - 19 de janeiro de 2021
985

O presidente dos EUA, Donald Trump, fez da liberdade religiosa um foco de seu governo. No sábado (16), Trump reconheceu o ‘Dia da Liberdade Religiosa’ em uma proclamação especial e incentivou os americanos a celebrar um dos valores fundamentais mais precioso do país.

“Quando os peregrinos cruzaram o Oceano Atlântico pela primeira vez há mais de 400 anos em busca da liberdade religiosa, sua dedicação a esta primeira liberdade moldou o caráter e o propósito de nossa Nação”, disse Trump. “Desde então, os Estados Unidos têm dado um exemplo para o mundo ao permitir que os crentes vivam sua fé na liberdade.”

Trump destacou como seu governo trabalhou fielmente para proteger a liberdade religiosa, não apenas para os americanos, mas também para pessoas religiosas em todo o mundo.

Em sua declaração na semana passada, Trump disse que eles honravam “a santidade de cada vida” e protegiam os direitos de consciência de todos os americanos para que pudessem praticar sua fé sem discriminação.

Logo depois que ele assumiu o cargo, seu governo emitiu uma nova lei ampliando as isenções religiosas para o Obamacare, para que instituições de caridade como as ‘Little Sisters of the Poor’, que atendem aos pobres e idosos, e outros empregadores religiosos, não sejam forçados a pagar por métodos anticoncepcionais, incluindo abortivos em seus planos de saúde de funcionários.

A Suprema Corte dos EUA manteve a lei em julho, mas Joe Biden deve revogá-la logo após assumir o cargo presidencial.

Em 2018, Trump também estabeleceu a divisão de Consciência e Liberdade Religiosa dentro da Secretaria de Direitos Civis para lutar pela liberdade religiosa e proteção da consciência dos americanos. Em 2019, a secretaria se envolveu no caso de uma enfermeira de Vermont, depois que ela disse que seu empregador, o Centro Médico da Universidade de Vermont, a induziu a participar de um aborto contra sua vontade.

Além disso, a administração Trump criou uma nova regra para fazer cumprir melhor as proteções de consciência e punir grupos médicos que discriminam trabalhadores médicos pró-vida.

Por meio da pandemia do vírus chinês, Trump disse que seu governo também se esforçou para proteger a liberdade religiosa e a santidade da vida humana.

“Ao longo deste ano difícil, continuamos esses esforços, reduzindo a burocracia para garantir que casas de culto e outras organizações religiosas pudessem receber empréstimos do Programa de Proteção ao Consignado nas mesmas bases e com os mesmos parâmetros de qualquer outra entidade”, disse ele. “Também defendemos ofensivamente as comunidades religiosas contra o alcance de governos estaduais e locais que tentaram impedir o culto comunitário.”

Globalmente, o governo Trump lutou contra a perseguição e instou outros países a proteger a liberdade religiosa para todos.

Em julho, Trump impôs sanções a vários funcionários do governo comunista chinês, após relatórios da Associated Press documentarem várias violações de direitos humanos, incluindo abortos forçados e esterilizações contra minorias étnico-religiosas na China.

O relatório estimou que centenas de milhares de mulheres uigures estão sendo submetidas a testes de gravidez, esterilizações forçadas e abortos forçados. Além disso, pelo menos 1 milhão de muçulmanos uigur foram colocados em campos de “reeducação” desde 2017 na China, relata o PBS News. De acordo com a AP, um dos principais motivos da detenção é o excesso de filhos.

Trump disse que os EUA são forte, em parte, porque seus fundadores reconheceram a importância da liberdade religiosa.

“À medida que os americanos se unem em liberdade incomparável, renovamos nosso compromisso com a salvaguarda e preservação da liberdade religiosa em nosso país e em todo o mundo”, disse ele.


985
FONTE: Conexão Politica por Thaís Garcia


PRINCIPAIS NOTÍCIAS


7 meses

Sudão revoga lei de apostasia

Conexão Politica
1 ano

Putin e Israel

Conexão Politica
1 ano

Consulte o livrinho

Conexão Politica
1 ano

Nigéria — O choro no escuro

Conexão Politica
2 anos

Pedofilia, não!

Conexão Politica
3 anos

Começa o Purim em Israel

Conexão Politica

FULNATION - A Verdade é o nosso compromisso! ©